35 passos práticos que os homens podem dar para apoiar o feminismo

Eu e a Tarsila traduzimos o texto que encontramos AQUI a quatro mãos. Não sei se concordo com homens se auto-identificando como feministas, masssss se você é homem e está procurando seu espaço dentro do feminismo, pode começar com muitas dicas que estão nesse post.

1 a 1 a a a a mar sao carlos13 homem feminista

No Facebook, um amigo recentemente linkou para um artigo chamado 20 Ferramentas para que os Homens Favoreçam a Revolução Feminista. Embora ele tenha gostado da lista, ele (corretamente) observou que a maioria das sugestões eram bastante acadêmicas. O amigo em questão, como eu, é um acadêmico, então essa observação não é para ser uma acusação ao artigo original. Só que ferramentas práticas e ferramentas acadêmicas podem ter lugares diferentes no mundo.

Os comentários dele me incentivaram a criar uma lista de ferramentas mais práticas. A maioria dos homens – em particular homens que se beneficiam de múltiplas formas de privilégio estrutural – fazem muitas coisas que direta e indiretamente contribuem para uma cultura de desigualdade de gênero. Até mesmo homens que apoiam o feminismo em teoria podem não ser tão bons em aplicar o feminismo em suas práticas diárias.

A lista traz sugestões de algumas ferramentas práticas que todos os homens podem aplicar em seu dia-a-dia para promover a igualdade em seus relacionamentos com mulheres, e para contribuir com uma cultura onde as mulheres sintam-se menos sobrecarregadas, inseguras e desrespeitadas.

Parte de viver em uma sociedade patriarcal é que os homens não são socializados para refletir sobre como seus hábitos e atitudes prejudicam mulheres. Essa lista foi feita para incentivar os homens a pensar mais conscientemente e pessoalmente sobre os efeitos diretos e indiretos que eles tem sobre as mulheres, e para pensar mais sobre como eles podem contribuir com o feminismo através de suas práticas diárias.

A lista não se pretende exaustiva nem exclusiva. Certos itens da lista vão se aplicar a alguns homens mais do que a outros, mas se você é um homem e humano, eu garanto que há pelo menos uma área da lista onde você possa melhorar. Caso você ache que esquecemos alguma coisa, me diga! Se você acha que algum ponto na lista é problemático, vamos conversar a respeito!

1. Faça 50% (ou mais) do trabalho doméstico

Você precisa fazer a sua parte do trabalho doméstico o tempo todo, por sua própria iniciativa, sem procrastinar, sem ser pedido, sem inventar desculpas. Reconheça que seus hábitos domésticos e suas idéias internalizadas sobre trabalho doméstico não-remunerado têm um enorme viés de gênero e beneficiam os homens incrivelmente, e aceite que é sua responsabilidade lutar contra isso. Se feminismo é a teoria, lavar a louça é a prática. Na próxima semana, observe quanto do trabalho doméstico você faz quando comparado com as mulheres que moram com você e observe se essa divisão é equitativa.

2. Dê 50% (ou mais) do supore emocional em seu relacionamento afetivo e amizades.

Reconheça que mulheres são desproporcionalmente responsáveis pelo trabalho emocional e que ser responsável por isso tira tempo e energia de outras coisas que elas consideram satisfatórias.

3. Consuma produtos culturais produzidos por mulheres.

Seja lá quais forem seus interesses – cinema Francês, astrofísica, baseball, ornitologia – certifique-se de que as vozes das mulheres e os produtos culturais das mulheres estejam representados naquilo que você está consumindo. Se não estão, esforce-se para incluí-las.

4. Dê espaço para as mulheres

Muitas mulheres andam por aí – especialmente à noite ou quando sozinhas – sentindo-se ameaçadas e inseguras. Estar em proximidade física com um homem desconhecido pode exacerbar essa sensação. Reconheça que esse medo não é tão irracioonal assim para mulheres, dado que tantas de nós já experienciaram perseguição ou abuso ou nos fizeram sentir inseguras por homens quando estamos em espaços públicos. Também reconheça que não importa se você é o tipo de homem que não dá motivo nenhum para ser temido, porque uma mulher na rua não tem como descobrir isso a seu respeito.

Exemplos: Se um banco estiver vago no transporte público perto de um homem, sente naquele assento ao invés de ao lado de uma mulher. Se você estiver andando em uma rua escura atrás de uma mulher andando sozinha, atravesse a rua para que ela não precise se preocupar que alguém esteja seguindo ela. Se uma mulher estiver de pé sozinha em uma plataforma do metrô, fique a certa distância dela.

5. … mas inclua-se em espaços onde você possa usar da sua masculinidade para interromper sexismo.

Exemplos: desafie homens que fazem comentários e piadas sexistas. Se você vir uma amiga mulher em um bar/em uma festa/no metrô/onde quer que seja se sentindo desconfortável com a abordagem de algum homem, tente interferir de maneira amigável para oferecer a ela uma saída caso ela assim deseje. Se você vir uma situação onde parece que uma mulher esteja em perigo quando em companhia de um homem, fique próximo o suficiente para ser uma presença física, monitore a situação e esteja a postos para chamar ajuda se necessário.

Coisas desse tipo podem ser super difíceis, estranhas e complicadas para saber como fazer, mas vale a pena tentar de qualquer jeito. Sentir-se momentaneamente desconfortável é uma troca justa para fazer com que uma mulher se sinta mais confortável.

6. Quando uma mulher te diz que alguma coisa é sexista, acredite nela.

7. Eduque-se a respeito de consenso sexual e certifique-se de que haja uma comunicação clara e inequívoca de consenso em todas as suas relações sexuais.

8. Seja responsável pela contracepção.

Se você está em um relacionamento onde a contracepção é necessária, ofereça-se para utilizar métodos que não tenham riscos à saúde da mulher (uso de hormônios, cirurgias, etc) e trate esses métodos como opções preferenciais. Se sua parceira preferir um método em particular, deixe-a ser responsável por tomar essa decisão sem questionar ou reclamar. Não faça manha sobre usar camisinha, e seja responsável por comprá-la e tê-la disponível caso esse seja o método que vocês estejam usando.

Assuma a responsabilidade financeira por qualquer custo relacionado à contracepção. Mulheres ganham menos que homens, e também precisam assumir todo o risco físico de uma gravidez. E mais, em instâncias onde a contracepção envolve qualquer tipo de risco físico, virtualmente são sempre as mulheres que têm que assumir esse risco. Como um gesto de compensação minúscula dessa disparidade, homens heterossexuais deveriam financiar todo o custo com contraceptivos.

9. Tome a vacina de HPV.

Se você for um homem jovem, tome. Se você tiver um filho jovem, certifique-se de que ele tome. Já que as mulheres são aquelas desproporcionalmente afetadas pelas consequências do HPV, por questão de justiça os homens deveriam ser aqueles que pelo menos assumam os riscos potenciais de ser vacinados. (Eu sou amplamente pró-vacinas em geral e não acredito que hajam riscos significativos, mas essa é uma questão de princípio.)

10. Tenha uma política de nomes progressista.

Se você e sua parceira mulher decidirem que a instituição do casamento é algo com a qual vocês querem se envolver, esteja aberto para que ambos mantenham seus sobrenomes. Se ter um sobrenome em comum com sua esposa é tão imporante para você, esteja disposto a mudar o seu sobrenome e trate isso como uma opção preferencial à sua esposa trocar o dela.

11. Se vocês tiverem filhos, sejam pais da mesma forma

Esteja disposto a tirar licença paternidade e ficar em casa cuidando deles quando eles forem pequenos. Divida as responsabilidades de cuidado de modo que você esteja fazendo pelo menos 50% do trabalho, e garanta que esse cuidado seja dividido para que você e sua parceira ambos possam ter uma quantidade igual de tempo para brincar com seus filhos também.

12. Preste atenção e desafie instâncias informais de reforço de papéis de gênero.

Por exemplo, você está em um evento de família ou em um jantar, preste atenção se são apenas (ou em sua maioria) mulheres que estão preparando a comida/limpando/cuidando das crianças enquanto os homens estão socializando e relaxando. Caso positivo, mude a dinâmica e implore que outros homens façam o mesmo.

13. Esteja atento a diferenciais de poder com viés de gênero explícitos e implícitos em seus relacionamentos íntimos/domésticos com mulheres… seja com parceira, membros da família ou colegas de quarto.

Esforce-se para reconhecer diferenciais de poder estruturais inerentes baseados em raça, classe, gênero, orientação sexual, idade (e assim por diante). Onde você se beneficiar desses desequilíbrios estruturais, eduque-se a respeito de seu privilégio e trabalhe para encontrar formas de criar um equilíbrio de poder mais igualitário. Por exemplo, se você estiver em uma parceria doméstica onde você é o principal provedor financeiro, eduque-se a respeito da diferença salarial com viés de gênero, e trabalhe no sentido de dividir o trabalho e os recursos econômicos dentro de sua casa de um jeito que aumente a autonomia econômica de sua parceira.

14. Certifique-se que honestidade e respeito guiem seus relacioonamentos românticos e sexuais com mulheres.

A forma com que você trata mulheres com quem você tem um relacionamento é um espelho dos seus valores com relação a mulheres em geral. Não adianta abraçar a teoria feminista e tratar suas parceiras como lixo. Seja honesto e aberto sobre as suas intenções, comunique-se abertamente para que as mulheres possam tomar decisões informadas e autônomas sobre o que elas querem fazer.

15. Não seja um expectador quando em face de sexismo.

Desafie pessoas que façam, digam ou postem coisas sexistas na internet, especialmente em mídias sociais.

16. Seja responsável com dinheiro em relaciconamentos domésticos/românticos

Saiba que se você for irresponsável com dinheiro, isso necessariamente impacta sua parceira e já que mulheres ainda ganham menos que homens em geral (e vivem mais), essa é uma questão feminista.

Exemplo: Sua dívida no cartão de crédito/desperdício de dinheiro/problema com apostas têm impacto sobre a vida econômica e o futuro dela. Compartilhe o orçamento doméstico, a declaração de imposto de renda e as responsabilidades das finanças pessoais e seja aberto e honesto sobre o gerenciamento financeiro doméstico.

17. Seja responsável pela sua própria saúde.

Homens vão ao médico com menos frequência que mulheres quando algo os incomoda, e quando eles vão geralmente é por insistência das mulheres do seu convívio. Ter uma longa vida em parceria com sua esposa significa ser responsável pela sua própria saúde, prestar atenção a qualquer incômodo e levá-los a sério. Já que somos dependentes um do outro, sua saúde a longo prazo é também a saúde a longo prazo dela.

18. Não fique secando ou faça comentários sobre mulheres (ex. mantenha a boca fechada e seus comentarios pra si mesmo)

Ainda que possa ser mais provável que as mulheres usem roupas mais reveladoras que os homens, não fique as secando só porque você quer e pode. Mesmo que você ache alguém atraente, existe uma linha entre perceber a pessoa e ser um babaca/ desrespeitoso. Isso faz com que a pessoa que recebe a secada se sinta desconfortável, assim como qualquer outra mulher que perceba que você está secando alguém ou percebam dos comentários.

19. Preste atenção ao gênero dos especialistas e principais personalidades que apresentam informações para você na mídia

Quando você estiver assistindo a um especialista na TV, lendo artigos, etc., perceba com que frequência essa informação virá de um homem, e, no mínimo, imagine o quanto uma perspectiva feminina poderia ser diferente.

20. Assegure-se de que alguns de seus herois e modelos de exemplo sejam mulheres

21. Elogie as virtudes e conquistas das mulheres da sua vida para as outras pessoas.

Nas conversas diárias e na sua comunicação em geral, fale para os outros sobre as mulheres que você conhece sob um ângulo positivo. Sugira as suas amigas mulheres para projetos, trabalhos e colaborações com as outras pessoas que você conhece.

22. Seja íntegro com os seus amigos homens (ex. não seja um “parça”)

Quando um amigo homem está fazendo algo sexista (deixando de cumprir obrigações parentais, falando mal de mulheres, secando elas, gastando dinheiro compartilhado em segredo, mentindo para sua parceira, etc), seja íntegro e diga algo para o seu amigo. Não é suficiente pensar que está errado; faça-os saber que você acha que está errado.

23. Não trate a sua esposa como uma “pentelha”. Se ela está “pentelhando”, você está provavelmente deixando algo para trás.

24. Saiba que reconhecer suas próprias opiniões e estereótipos sexistas não é o suficiente. Faça algo a respeito disso.

25. Tenha amigas mulheres.

Se você não tem nenhuma amiga mulher, descubra o porquê e faça algumas amigas. Assegure-se de que sejam relações autênticas e significativas. Quanto mais a gente se preocupa e se identifica uns com os outros, mais chance a gente tem de criar uma sociedade mais igualitária.

26. Encontre mentoras/líderes mulheres (ex. seja subordinado à mulheres)

Se você está procurando um mentor, ou quer ser voluntário de uma organização, vá a uma mulher ou a uma organização liderada por uma mulher. Saiba que há muito a aprender de mulheres em posições de comando.

27. Quando estiver em um relacionamento romântico, seja responsável por eventos e datas especiais ligados ao seu lado da família.

Lembre-se dos aniversários dos membros da sua família e eventos importantes. Não deixe para a sua esposa a responsabilidade de enviar cartões, fazer ligações, organizar reuniões, etc. É sua família, e portanto sua responsabilidade de lembrar-se, preocupar-se e contatá-los.

28. Não policie a aparência de mulheres.

Mulheres são ensinadas a internalizar normas de beleza extremamente restritivas desde quando são crianças muito pequenas. Não faça ou diga coisas que façam com que as mulheres sintam que não estão cumprindo essas normas, ou crie pressão para que elas as cumpram. Ao mesmo tempo, também não é uma resposta feminista fazer ou falar coisas que pressionem mulheres a usar seu corpo para resistir a essas normas se elas não quiserem. Reconheça que há significativas sanções sociais para mulheres que desobedecem padrões de beleza e não podemos esperar que elas ajam como mártires e aceitem essas sanções se não quiserem.

Se de acordo com seu senso estético ou ideais você acha que ela usa muita maquiagem ou maquiagem de menos, retire pêlos corporais ou não o suficiente, não é da sua conta como as mulheres decidem a aparência de seus corpos.

29. Ofereça-se para acompanhar suas amigas mulheres se elas tiverem que caminhar para casa a noite sozinhas… ou em um espaço público onde provavelmente elas se sentiriam inseguras.

Mas não insista em fazê-lo ou aja como se você estivesse sendo o maior cavalheiro do mundo por fazer isso.

30. Injete feminismo em suas conversas diárias com outros homens.

Se o seu pai não faz a sua parte do trabalho doméstico, converse com ele sobre porquê isso é imporante. Se seu amigo trai a namorada dele ou fala dela negativamente, falefrancamente para ele que respeitar a mulher com quem ele tem um relacionamento íntimo faz parte de ter respeito com mulheres em geral. Tenha conversas com seus irmãos mais novos e seus filhos sobre sexo consentido.

31. Se você tem tendência a se comportar de maneira inadequada com mulheres quando você está sob a influência de drogas ou álcool, não consuma drogas ou álcool.

32. Tenha consciência do espaço físico e emocional que você ocupa, e não tome mais espaço do que você precisa.

Use sua cota justa de tempo de fala nas suas conversas, dê tanto às relações quanto você recebe, não sente com suas pernas abertas de modo que outras pessoas não consigam sentar confortavelmente ao seu lado, etc.

33. Faça o que deve ser feito com relação a desigualdade de renda.

Mulheres ainda ganham 77% do que homens ganham. Se você está em uma posição que te possibilite fazer isso, considere doar simbolicamente 23% do seu salário para causas orientadas à justiça social. Se 23% parece muito para você, é apenas porque é muito, e também é muito para mulheres que não tem escolha de receber esse valor ou não.

34. Adquira o hábito de tratar a sua masculinidade como um privilégio não-merecido que você precisa trabalhar ativamente para ceder ao invés de tratar a feminilidade como uma desvantagem não-merecida que as mulheres precisam batalhar para superar.

35. Auto-identifique-se como feminista.

Fale sobre feminismo como uma crença natural, normal, incontestável, porque deveria ser mesmo. Não se restrinja usando termos como “humanista” ou “aliado feminista” que reforçam a ideia de que a palavra Feminismo por si só é algo assustador.

Anúncios

69 comentários sobre “35 passos práticos que os homens podem dar para apoiar o feminismo

  1. Pingback: 35 ações práticas para homens que querem apoiar o feminismo | Política: substantivo feminino

  2. Pingback: 35 ações práticas para homens que querem apoiar o feminismo | Fritando Coxinhas

  3. Todas estas dicas funcionariam que nem um relógio azeitado se mulheres de fato dessem preferência (no amor, sexo, etc) para homens que seguem algumas destas atitudes. Não é o que acontece. Os machistas ainda tem o coração das mulheres.

      • O pouco dimorfismo sexual nos homo sapiens é, por alguns estudiosos, indicação da escolha das fêmeas (em que momento da evolução podemos falar de homem e mulher) por machos menos agrecivos. Sim, eu tenho que me preocupar em rever meus “privilégios” e não em responsabilizar as mulheres. Mas não acredito que mudanças culturais significativas por parte dos homens vão acontecer enquanto as feministas não forem demograficamente relevantes.

  4. Dúvida: Quanto ao numero 10, sobre os nomes e sobrenomes. Meus pais não mudaram de sobrenome, eu herdei um sobrenome de cada um e sinceramente nunca achei necessário a mudança de nome com o casamento, mas minha namorada (e futura esposa) quer porque quer adotar meu sobrenome. Poderia concordar com isso sem ser uma atitude machista?

  5. legal o texto, desconsidero os pontos financeiros, acho bobagem, muitas mulheres conquistando bons empregos no mercado de trabalho, e isso vai da competência de cada um, mulher ou homem.

  6. Querida Georgia acredito que entre o que você pensa “Não sei se concordo com homens se auto-identificando como feministas” e o que texto diz: “35. Auto-identifique-se como feminista.” Existe uma/ou várias divergências…entre você e o texto. Enfim, a lista é interessante, gostei. Como ando muito a pé percebo que muitas mulheres ficam com medo de um homem caminhando atrás delas. Eu sempre ultrapasso uma mulher rapidamente para tranquilizar a mulher mais rápido.

    Abraços

    • Então, Antonio, por isso já na introdução falei que não sei se concordo. O texto fala que sim, é importante que o homem se auto-identifique como feminista, mas ainda não sei se concordo. Esse é um ponto que estou trabalhando na minha cabeça há mais de um ano…

  7. Bom texto, boas sugestões. Mas aproveito pra comentar algo que eu acho que precisa ser melhor aprofundado: a questão da licença paternidade. Concordo com a sugestão, mas não me parece que muitos homens não estejam dispostos a não tirar licença, nem que não queiram se envolver com essa responsabilidade. Claro que existem alguns pais irresponsáveis, mas também existem pais de “primeira viagem” que querem participar mas precisam de orientação, ou até ”pais-corujas” profissionais, capazes de ensinar um truque ou dois para uma ”mamãe novata”. E se é de falar em igualdade… 5 dias de licença paternidade não parece absurdo? É muito pouco! Nesse caso, o homem está em franca desvantagem, e quando quer se envolver, não encontra meios. Fica até difícil de ajudar a mãe desse jeito, mas… Paciência. Um dia resolvemos esta questão na Justiça do Trabalho (espero!).

    • Sou super a favor da licença-paternidade igualitária.
      Já tem alguns países na Europa onde o tempo total da licença pode ser dividido como os pais preferirem. Tipo 6 meses que podem ser 3 para a mãe, 3 para o pai, ou 1 para a mãe e 5 para o pai, enfim. Acho que essa é uma escolha que tem que ser do casal, e não do estado.

    • Acredito ser unanimidade no movimento feminista a concordância com a tua observação sobre essa questão da licença paternidade. É claro que para os homens fazerem sua parte precisam de condições para isso! Justíssimo tua colocação 🙂

      • Hehe, tudo bem. Eu gostaria de deixar (mais) uma opinião masculina a respeito do texto.

        “35. Auto-identifique-se como feminista.”
        Eu me interesso por feminismo porque acredito que homens e mulheres devem ser iguais em direitos e deveres. Tenho a ideia de que feminismo é a ideia de reduzir a desigualdade de gênero, no sentido de que hoje, mulheres são ‘menos iguais’ do que homens. Seguindo esse raciocínio, acho difícil eu me declarar feminista, porque como homens, por mais que tenhamos empatia, não sabemos o que uma mulher passa. Portanto eu não concordo porque as mulheres que têm que protagonizar a luta por seus direitos e deveres. O que podemos fazer é apoiar, mas para apoiar eu fico sem saber como fazê-lo.

        “3. Consuma produtos culturais produzidos por mulheres.”
        Acho que é uma questão de preferência. Prefiro uma banda de metal com uma mulher cantando, torço para que Susie Wolff e Simona De Silvestro consigam ser pilotas de Fórmula 1, mas não acho que isso me faça apoiar o feminismo.

        4. Não concordo só com essa passagem: “Se um banco estiver vago no transporte público perto de um homem, sente naquele assento ao invés de ao lado de uma mulher”. Eu fazia isso por timidez, mas acho que se eu deixar um banco livre do lado dela, pode aparecer um babaca e sentar lá, sem contar que posso perder a chance de conhecer uma garota incrível.

        “6. Quando uma mulher te diz que alguma coisa é sexista, acredite nela.”
        Concordo parcialmente. Acho que a gente não pode concordar com 100% do que uma pessoa diz, pode ser que ela esteja enganada.

        Concordo com esses itens:
        “1. Faça 50% (ou mais) do trabalho doméstico
        10. Tenha uma política de nomes progressista.
        11. Se vocês tiverem filhos, sejam pais da mesma forma
        7. Eduque-se a respeito de consenso sexual e certifique-se de que haja uma comunicação clara e inequívoca de consenso em todas as suas relações sexuais.
        14. Certifique-se que honestidade e respeito guiem seus relacioonamentos românticos e sexuais com mulheres.
        24. Saiba que reconhecer suas próprias opiniões e estereótipos sexistas não é o suficiente. Faça algo a respeito disso.”

        Esses aqui eu já faço/fiz e também não acho que vá me fazer apoiar o feminismo.
        “26. Encontre mentoras/líderes mulheres (ex. seja subordinado à mulheres)
        17. Seja responsável pela sua própria saúde.
        20. Assegure-se de que alguns de seus heróis e modelos de exemplo sejam mulheres
        21. Elogie as virtudes e conquistas das mulheres da sua vida para as outras pessoas.
        28. Não policie a aparência de mulheres.”

        Sobre esses:
        “18. Não fique secando ou faça comentários sobre mulheres (ex. mantenha a boca fechada e seus comentarios pra si mesmo)”
        Eu tenho dificuldade nesse ponto porque não sei bem a diferença entre admirar a beleza feminina e ficar babando, não percebo quando exagero. Faço comentário se for com algum amigo e se ela não estiver ouvindo.

        “25. Tenha amigas mulheres.”
        Amizade feminina é bem vinda. Eu gostaria de ter amigas feministas. O chato é que quando você diz pra alguém que fulana é sua amiga, sempre tem aquele cara que diz: “duvido, você quer outra coisa com ela…”, “não existem amizade entre homem e mulher”, etc.

        “33. Faça o que deve ser feito com relação a desigualdade de renda.” – Desigualdade de renda não é uma realidade na minha área, e como conheço e vejo mulheres que recebem mais do que eu, acho que as estatísticas não dizem respeito as escolhas, oportunidades, formação, etc. Nos casos que acontecerem de uma mulher receber menos que um homem e o único motivo disso ser o sexo, isso é um absurdo e eu não sei o que fazer a respeito.

        “34. Adquira o hábito de tratar a sua masculinidade como um privilégio não-merecido que você precisa trabalhar ativamente para ceder ao invés de tratar a feminilidade como uma desvantagem não-merecida que as mulheres precisam batalhar para superar.” – Posso estar enganado ou não ter entendido bem, mas não acho que masculinidade é um privilégio e não acho que feminilidade é uma desvantagem não merecida. Temos diferenças biológicas e acho que devíamos entrar em acordo para que diferenças biológicas não torne um ‘mais igual’ do que o outro.

        Esses itens:
        “2. Dê 50% (ou mais) do supore emocional em seu relacionamento afetivo e amizades.
        12. Preste atenção e desafie instâncias informais de reforço de papéis de gênero.
        15. Não seja um expectador quando em face de sexismo.
        22. Seja íntegro com os seus amigos homens (ex. não seja um “parça”)
        27. Quando estiver em um relacionamento romântico, seja responsável por eventos e datas especiais ligados ao seu lado da família.
        30. Injete feminismo em suas conversas diárias com outros homens.
        35. Auto-identifique-se como feminista.”
        Fico confuso, principalmente por medo de acontecer o que o Jonas e Paulo Roberto comentaram, antes de ler o comentário deles, coincidentemente, fiquei com o mesmo pensamento.

        Obrigado pelo post. Ainda vou ler os comentários do original em inglês para que eu possa ver opiniões femininas sobre o texto. As masculinas, parece até que já sei o que a maioria vai comentar.
        No mais, desculpa pelo longo texto ou se escrevi algo que contradiz o item 6.

  8. Pingback: 35 passos práticos que os homens podem dar para apoiar o feminismo - Geledés

  9. 1 – Qualquer homem responsável (principalmente aqueles que moraram sozinhos antes de se casar) têm consciência disso. É uma questão de independência e noção de responsabilidade. Se dentro do casal for de acordo a mulher fazer o trabalho doméstico por inteiro, que seja, se não, que dividam. O importante é os dois terem noção de suas responsabilidades/necessidades e entrarem em acordo sobre isso.

    2 – Como diria a Wikipédia, “carece de fontes”. Isso é completamente subjetivo e vai variar de casal pra casal.

    3 – Me esforçar por que? Se o produto for bom, consumirei, se a arte for boa, me inspirarei. Incluir só por ser mulher? Deveria então incluir qualquer porcaria só por ter sido feita por mulher?

    4 – Ando por onde quero, sento onde quero. Não faço mal a ninguém, respeito a todos. Mudar meus hábitos porque alguém pode achar que eu sou estuprador é ridículo.

    5 – Esse tópico praticamente entra em conflito com o anterior, mas tudo bem. Se eu puder ajudar alguém, farei o que estiver ao meu alcance, se achar que alguém pode estar em risco, tentarei ficar alerta. Mas esse “alguém” pode ser qualquer um, afinal, qualquer um está sujeito à qualquer tipo de violência.

    6 – Quer dizer então que mulheres são donas da razão? Elas sabem de tudo agora? Que desonestidade…

    7 – a.k.a. Burocratize o sexo

    8 – Se minha mulher ganhar mais eu posso dar essa responsabilidade pra ela? Outra vez, querendo meter regra onde não precisa. O casal decide, o importante é eles estarem de acordo. Além do mais o “corpo é da mulher e as regras são delas”, portanto, todo o cuidado relacionado a qualquer tipo de medicamento deve ser responsabilidade da própria.

    9 – Er… acho que vacina é pra todo mundo, não?

    10 – Novamente, querendo meter regra onde não precisa. O casal decide, o importante é eles estarem de acordo. – “trate isso como uma opção preferencial” – Você está querendo impor um comportamento?

    11 – Qualquer homem responsável sabe disso.

    12 – Conheço dezenas de homens que cozinham e dezenas de mulheres que não. Se as mulheres querem cozinhar e ficar na cozinha, que fiquem! Se não quiserem, não fiquem! Simples assim. Ninguém tem que vigiar “evento familiar” de ninguém.

    13 – O mesmo pra quando a mulher ganha mais.

    14 – Questão de caráter/personalidade. Tão querendo politizar as releções afetivas. Se o cara quer ser cafageste e não ligar no dia seguinte, que seja. E que arque com as consequências disso. O mesmo para as mulheres.

    15 – E virar um papagaio de facebook? Isso é ser politizado?

    16 – Mais uma vez, querendo meter regra onde não precisa. O casal decide, o importante é eles estarem de acordo.

    17 – Nada a ver com feminismo. Tem a ver simplesmente com a responsabilidade que cada um tem sobre si. Além do mais, esse tópico entra em conflito com o tópico 8 – lá foi pedido pro homem ser responsável pela contracepção. Mas se “o corpo é das mulheres e as regras são elas que fazem” e a contracepção é uma questão de saúde física e psicológica, a mulher tem que tomar conta disso, já que é ela quem engravida. E uma mulher abalada física e mentalmente acaba por abalar o companheiro, e, como você disse: “sua saúde a longo prazo é também a saúde a longo prazo dela” e vice-versa.

    18 – Se exigirem isso dos homens, as mulheres devem começar a fazer o mesmo.

    19 – Isso depende completamente da área. Umas são mais representadas por homens, outras por mulheres.

    20 – Seguirei exemplo de quem me for um bom exemplo. Ninguém escolhe os heróis pelo gênero e sim pela história de vida. Ou vocês querem criar a “cota de heróis”?

    21 – Deve-se elogiar quem merece, quem fez algo pra se destacar dentro do contexto que se insere.

    22 – O mesmo para mulheres.

    23 – Isso é completamente subjetivo e depende do casal, do momento, da situação… não faz sentido você querer impor uma regra geral pra isso. Vai de cada um, vai do relacionamento de cada casal, vai da percepção de cada um, vai do exagero de cada um.

    24 – Tópico genérico.

    25 – Deve-se ser amigo de quem você gosta, de quem se afeiçoa, de quem faz diferença na sua vida e de quem você pode compartilhar bons e maus momentos. Fazer “cota de amizade” tira toda a espontaneidade da coisa.

    26 – Assim como há muito a se aprender com homens.

    27 – O mesmo para a mulher.

    28 – O mesmo conselho se aplica às mulheres em relação aos homens.

    29 – Ok, mas lembre de alertar aqueles que dizem que “todo cavalheirismo é machismo velado”.

    30 – Se um(a) amigo(a) trai a(o) namorada(o) dele(a) ou fala dela negativamente, fale francamente para ele(a) que respeitar o(a) outro(a) com quem ele(a) tem um relacionamento íntimo faz parte de ter respeito com pessoas em geral.

    31 – Se você tem tendência a se comportar de maneira inadequada quando você está sob a influência de drogas ou álcool, não consuma drogas ou álcool e procure ajuda.

    32 – Conselho para qualquer ser humano.

    33 – Cite fontes.

    34 – a.k.a. vitimização (como tudo nesta década de 2010)

    35 – O uso da palavra “crença” diz muito sobre este artigo.

      • Acho que o Emanuel talvez tenha sido meio duro e um pouco arrogante, mas tenho que concordar: boa parte dos pontos apontados estão corretos, apesar de que poderiam ter sido escritos de forma mais gentil.

        Não se trata de ele não ter entendido, mas de fato não há noção do que é ser homem nas crenças apresentadas no artigo. Ninguém se esforça para “ser um babaca”, o que dá a entender pela autora.
        Digo mais, provavelmente o Emanuel acredita, sim, na igualdade de gênero, logo várias regras citadas implicam para os dois lados, como foi sinalizado. Ele pensa em todos como humanos, assim como eu. Pode parecer que há um antagonismo da parte dele, mas simplesmente várias ideias não são contrárias, ele apenas ficou incomodado com as regras (sem muito nexo para nós).

        Não sentar do lado de uma mulher entre outras são regras malucas… basta cada um fazer o seu: respeitar o próximo acima de tudo (novamente igualdade e respeito).

        Traição tem a ver com personalidade, momentos, valores e crenças, não com machismo, como vejo vários textos esboçando. Os dois lados estão sujeitos a isso, é normal. Machismo é crer poder trair pelo fato de ser homem e achar que a mulher que o faz é uma “vadia” ou outro termo do tipo. Isso é ignorância, crenças realmente atrasadas e machistas, e não o ato de traição (não sou a favor, prefiro a transparência).

        Concordo com pontos como dividir tarefa doméstica e tomar vacina de HPV (como forma de solidariedade aos danos) entre outros, mas muitos pontos se tratam de negociações e transparência entre dois seres humanos, não de ceder ou “dar preferência”. Isso é caso a caso, não tem como firmar regras.

        “Reconheça que mulheres são desproporcionalmente responsáveis pelo trabalho emocional” – esse item 2, eu não entendi. Trabalho emocional de quem? do casal? O funcionamento hormonal entre gêneros é diferente, essa igualdade não temos e nem teremos (acho). Não entendi se é para pedir mais paciência. Acho que as duas partes têm que ser parceiras e transparentes, de resto cabe ao casal se entender ou não. Achei vitimismo.

        Enfim, não vou citar ponto a ponto. Esse é o resumo.

  10. Só discordo dos itens 3 e 6. Eu consumo produtos culturais que tenham qualidade, independente de quem o tenha produzido. Item 6 eu o vejo muito presunçoso, eu sou negro, e por isso jamais estarei errado em relação ao racismo? Eu não sou o suprassumo da humanidade, eu sou um ser falho, eu erro, estou sujeito a erros e interpretações errôneas mesmo em algo que eu domino e vivencio. De resto concordo com tudo, e tento colocar em prática muito do que esta ai. Eu sou privilegiado pela sociedade, sou homem e hétero, só faltou ser branco para sentar no trono do privilégio, eu tenho consciência disso, mas eu não quero isso, eu enxergo a mulher como minha igual, e a quero ao meu lado, usufruindo dos mesmos direitos, e como poderia ser diferente? Como posso não querer que minha mãe, irmãs, amigas, futura esposa e filhas tenham os mesmo direitos? Só acho um erro o homem ser tratado como vilão, como muitas feministas fazem, entendo os motivos disso, são anos de machismo, mas isso é irracional, e de certa forma injusto, homem em proporções diferentes também é vítima do machismo. Quando o espermatozoide do meu pai fecundou o óvulo da minha mãe eu não tive opção de escolha, não fui eu que pedi para nascer homem em uma sociedade que me coloca como senhor de tudo, eu também nunca vi um bebê machista, que eu saiba machismo não vem do útero, que eu saiba também não é uma escolha, eu pelo menos nunca vi ninguém dizer “como será agir feito um babaca? Vou descobrir, a partir de hoje serei machista \o/”. Eu sei que a criança nasce nua de valores, princípios, opiniões e personalidade, ela usa o que tem a sua volta como base para construir o “eu” (em especial os exemplos dos pais) o meio ao qual ela esta inserida irá influenciar aquilo que ela se tornará no futuro, logo se uma criança cresce em um ambiente machista provavelmente se tornará um adulto machista. Então, se esse homem não teve opção de escolha em relação ao seu sexo, não pediu para nascer em uma sociedade machista, e nasceu nu de valores, e tudo o que ele sabe foi inserido em sua personalidade como ele pode ser tratado como vilão? Diante daquilo que ele aprendeu ele não esta errado, é isso que as pessoas não entendem, tanto um machista, como um homofóbico, ou racista, eles não se veem como babacas, eles acham que estão certos, pois é isso o que eles aprenderam. “Mas a gente explica e eles não mudam”, isso é óbvio, foram décadas para ele se tornar o que é hoje, ai chega uma total estranha e fala em tom de acusação “ômi, você tá errado! Tudo o que você sabe, os alicerces de sua personalidade, tudo o que aprendeu em mais de uma década, jogue fora, e comece de novo”. WTF? Mudar uma característica, mesmo quando você quer e sabe que esta errado é difícil, imagine mudar todo um conjunto de valores, isso não é fácil, ainda mais quando se é tratado como vilão. Discurso de ódio, extremismo, essa abordagem mais agressiva, que vem crescendo no feminismo, (não apenas no feminismo, como em outros movimentos que lutam contra opressão) são nocivos, é um tiro no pé, compromete qualquer luta. Esses 35 passos ou melhor 33 hahaha são ótimos, mas fazer outros homens enxergarem isso é algo difícil, ainda mais se tratar esses homens como vilões, isso não os fará terem vontade de mudar, só irão criar antipatia pelo movimento, não se combate ignorância com hostilidade.

  11. Pingback: O Inimigo – Música por quem gosta de música

  12. Pingback: 35 ações para homens que querem apoiar o feminismo | Catraca Livre

  13. Pingback: 35 ações para homens que querem apoiar o feminismo | Trilha Mundos – Cooperativa de Projetos e Serviços Socioambientais – 61 8138-5888

  14. Já tive medo de apoiar amigas feministas e ser tachado de machista, mas pratico mais de 30 dessas ações, acho que sou quase feminista.

  15. 1. Faça 50% (ou mais) do trabalho doméstico
    “A proposta parece considerar com trabalho doméstico apenas atividades majoritariamente exercidas por mulheres, excluindo destes reparos, jardinagem, manutenção de instalações etc.”

    2. Dê 50% (ou mais) do supore emocional em seu relacionamento afetivo e amizades.
    “Trata-se de um julgamento que desconfio de sua validade… O fato de homens e meninos terem (majoritariamente) mais dificuldades para expor suas dificuldades, fragilidades e vulnerabilidades devem ser levadas em conta…”

    3. Consuma produtos culturais produzidos por mulheres.
    “Consumirei produtos conforme sua qualidade e afinidade com interesses pessoais… talvez a idéia fosse para se atentar a produtos culturais não priorizados pela grande mídia…”

    4. Dê espaço para as mulheres
    “Cuidado para não alimentar uma paranóia construída por grupos feministas radicais… manter um comportamento reto é o que posso oferecer… A mesma paranóia poderia ser colocada sobre o medo de homens para falsas acusações de abuso… facilmenta aceitas pela sociedade sem que sequer o caso seja investigado…”

    5. … mas inclua-se em espaços onde você possa usar da sua masculinidade para interromper sexismo.
    “O mesmo vale para as mulheres? Piadas que ridicularizam homens ou marido são tão ou mais comuns… a representação midiática de homens como “tolos” ou similares é amplamente difundida… mas em nada isso é questionado… Qualquer assunto que esteja deixando alguém desconfortável deve ser evitado… isso se chama EMPATIA… e não se restringe a qualquer gênero.”

    6. Quando uma mulher te diz que alguma coisa é sexista, acredite nela.
    “O inverso então deve ser considerado verdadeiro, não seria o correto?”

    7. Eduque-se a respeito de consenso sexual e certifique-se de que haja uma comunicação clara e inequívoca de consenso em todas as suas relações sexuais.
    “Igualmente deve valer para homens e mulheres… mesmo porque o gênero mais cobrado pela infalibilidade e não-negação não é o feminino!”

    8. Seja responsável pela contracepção.
    “Cuidado! Cirurgia não é método contraceptivo… A responsabilidade é de ambos… Inclusive quando se trata de camisinha!!! – “Assuma a responsabilidade financeira por qualquer custo relacionado à contracepção”, puro sexismo!!! Os argumentos utilizados foram bem questionáveis e falíveis… mais a frente posso descorrer sobre o caso.”

    9. Tome a vacina de HPV.
    “ambos”

    10. Tenha uma política de nomes progressista.
    “A opção é individual e não se deve impor ou influenciar…”

    11. Se vocês tiverem filhos, sejam pais da mesma forma
    “ A licença paternidade é de 5 dias corridos… Por que não se vê defesa pela Licença Parental como existe em outros países? Os cuidados com os filhos são de responsabilidade dos pais, e ambos devem se esforçar para fazer o melhor para eles…”

    12. Preste atenção e desafie instâncias informais de reforço de papéis de gênero.
    “Não sendo imposto, cada um faça e se comporte com julga sua consciência… O exemplo faz muito mais nessas situações do que discursos…”

    13. Esteja atento a diferenciais de poder com viés de gênero explícitos e implícitos em seus relacionamentos íntimos/domésticos com mulheres… seja com parceira, membros da família ou colegas de quarto.
    “Vale para ambos… pena que muitas vezes apenas um gênero é questionado, como se a esse fosse possível atribuir todas as distorções de viés sexista presentes na cultura social”

    14. Certifique-se que honestidade e respeito guiem seus relacionamentos românticos e sexuais com mulheres.
    “Vale para ambos… honestidade e respeito é a base para qualquer relacionamento… e não apenas os românticos e sexuais…”

    15. Não seja um expectador quando em face de sexismo.
    “Vale para ambos… Mas não vou deixar de lado o bom humor e deixar de dar medida proporcionalmente ao peso…”

    16. Seja responsável com dinheiro em relaciconamentos domésticos/românticos
    “Vale para ambos… lembrando que mulheres são, estatisticamente, as principais tomadoras de decisões de compra e investimentos… em suma, no geral, são elas que mais tomam conta do dinheiro…”

    17. Seja responsável pela sua própria saúde.
    “Mesmo assim quase a totalidade das políticas públicas de saúde são focadas no perfil feminino…”

    18. Não fique secando ou faça comentários sobre mulheres (ex. mantenha a boca fechada e seus comentarios pra si mesmo)
    “O mesmo vale entre mulheres…”

    19. Preste atenção ao gênero dos especialistas e principais personalidades que apresentam informações para você na mídia
    “Vale para ambos… o quanto uma perspectiva masculina poderia ser diferente…”

    20. Assegure-se de que alguns de seus heróis e modelos de exemplo sejam mulheres
    “Esse espaço não se cria, se conquista… nunca fiz diferença de gênero para tal…”

    21. Elogie as virtudes e conquistas das mulheres da sua vida para as outras pessoas.
    “Vale para ambos… Por que esperar somente dos homens tal postura ?”

    22. Seja íntegro com os seus amigos homens (ex. não seja um “parça”)
    “Vale para ambos… mas novamente o foco está sempre em sexismos praticados por homens…”

    23. Não trate a sua esposa como uma “pentelha”. Se ela está “pentelhando”, você está provavelmente deixando algo para trás.
    “Vale para ambos… incluindo os diversos atributos pejorativos mais vinculados à representação masculina”

    24. Saiba que reconhecer suas próprias opiniões e estereótipos sexistas não é o suficiente. Faça algo a respeito disso.
    “Somos fruto de nossas decisões e atitudes…”

    25. Tenha amigas mulheres.
    “Amizade se constrói… não se impõe! Mas também considero improvável de que todos seus amigos sejam de um mesmo gênero…”

    26. Encontre mentoras/líderes mulheres (ex. seja subordinado à mulheres)
    “Liderança não é uma questão de gênero… Se fizer esse tipo de diferença, você está sendo sexista ! Pois está colocando o gênero acima da competência…”

    27. Quando estiver em um relacionamento romântico, seja responsável por eventos e datas especiais ligados ao seu lado da família.
    “??? Essa tive dificuldade de entender… Mas vale para quem tiver a melhor memória, acho! Claro que será mais fácil a pessoa lembrar de data de sua família do que de seu cônjuge… mas o casal responde como um, né !”

    28. Não policie a aparência de mulheres.
    “Essa é ambíqua… mulheres são as que mais policiam a aparência de outras mulheres… Inclusive a pressão por padrões de beleza são muitas vezes (se não na maioria) exercidas por mulheres… uma vez que muitas mulheres são educadas para utilizar de sua beleza como meio para se conseguir vantagens… Sanções sociais? Vale para ambos… Cada um faz da sua vida e de seu corpo o que quiser… mas cada um também é livre para ter as idéias que quiser… não se deve discutir a preferência estética de ninguém !!! E nesse quesito, a diversidade estética feminina é muito mais aceita do que a masculina… Qual seria o similar masculino para adjetivos como “gordelícia”?

    29. Ofereça-se para acompanhar suas amigas mulheres se elas tiverem que caminhar para casa a noite sozinhas… ou em um espaço público onde provavelmente elas se sentiriam inseguras.
    “Show ! Nada a declarar…”

    30. Injete feminismo em suas conversas diárias com outros homens.
    “Se sua esposa não entende nada de reparos elétricos ou nem ao menos sabe instalar um chuveiro… converse com ela… Como disse antes, honestidade e respeito são atributos independentes de gênero…”

    31. Se você tem tendência a se comportar de maneira inadequada com mulheres quando você está sob a influência de drogas ou álcool, não consuma drogas ou álcool.
    “Vale para ambos… e para qualquer tipo de comportamento inadequado, não apenas referentes a mulheres!!!”

    32. Tenha consciência do espaço físico e emocional que você ocupa, e não tome mais espaço do que você precisa.
    “Essa vale para ambos… mas daria uma especial atenção para muuitas mulheres… rsrsrs”

    33. Faça o que deve ser feito com relação a desigualdade de renda.
    “Essa da desigualdade de renda é uma falsa idéia amplamente difundida… Basta verificar os mesmos relatórios do IBGE de onde se originam os números utilizados para a interpretação errônea… Basta citar que se trata de valores médios… e que nos mesmos relatórios consta que homens trabalham mais horas semanais na mesma proporção !!! Reforço… não acredite em mim… verifique por si mesmo… os relatórios do IBGE são abertos…”

    34. Adquira o hábito de tratar a sua masculinidade como um privilégio não-merecido que você precisa trabalhar ativamente para ceder ao invés de tratar a feminilidade como uma desvantagem não-merecida que as mulheres precisam batalhar para superar.
    “”Adquira o hábito de tratar a sua feminilidade como um privilégio não-merecido que você precisa trabalhar ativamente para ceder ao invés de tratar a masculinidade como uma desvantagem não-merecida que os homens precisam batalhar para superar.” – Essa falsa idéia que um gênero só possui privilégios e o outro opressões chega a ser infantil de tão falsa… basta verificarmos que a licença paternidade é de 5 dias corridos e que mulheres se aposentam 5 anos mais cedo (independente de serem mães e donas de casa ou qualquer falso argumento similar)… Esse bipolarismo só interessa a grupos políticos que se favorecem dessa simplista visão maniqueista… Homens, como mulheres, possuem privilégios e desprivilégios na mesma proporção… E garanto que o critério gênero está entre os menores se considerarmos conceitos de privilégio e desprivilegiados em nossa sociedade !!! Estão aí as questões sobre inclusão, mobilidade e acessibilidade para não me desmentir…”

    35. Auto-identifique-se como feminista.
    “Por muito tempo me considerei feminista, mas infelizmente não me permito mais esse atributo… Basta para isso verificar os conceitos preconceituosos e os discursos de ódio amplamente difundidos e defendidos (“em nome da sororidade”) pelos diversos grupos feministas atuais… Nem por isso deixarei de continuar lutando por uma maior equidade de direitos e deveres em nossa sociedade… e não me restrinjo a questões de gênero!”

    • É claro que muita coisa vale pra ambos, mas o fato de você “refutar” o texto falando isso mostra que na verdade não vai prestar 5 minutos de atenção às suas atitudes. Várias dessas coisas as mulheres já fazem em seu dia a dia, ou raramente tem oportunidade. Esse texto é para ajudar homens a serem pessoas melhores. Tem outros para mulheres com outros vieses.

  16. Texto pretensioso, procuro tratar as pessoas igualmente, não parece “igualitário” tratar uma pessoa de forma especial só por ser mulher, me sento onde eu quiser, não vou mudar meu consumo ou me esforçar para consumir produtos culturais produzidos por mulheres, sou contra o machismo e resolvi ler esse artigo procurando me simpatizar mais com o feminismo, pois o machismo é inerente na sociedade. Lendo esse texto tive a mesma impressão de ler um texto machista, um texto machista tenta ditar como uma mulher tem que se comportar, esse tenta ditar como os homens deveriam se comportar.

      • É assim que reage a críticas? Cresça e aprenda com elas… As ideias são fracas. Assim, como muitos que criticaram, ele está do lado da igualdade de gêneros. Toda vez que se posiciona com agressividade, perde credibilidade e demonstra não ser alguém admirável, assim como outros que te ofenderam lá em cima sem razão.

      • olha a minha cara de preocupada para homens que vem aqui criticar o texto.
        ou você aprende alguma coisa com ele ou pode ir embora, to cagando pra ódio vindo de vocês.

  17. O cara tenta se auto identificar como feminista, ai vem uma porrada de gente no facebook falando q nao existe homem feminista, que estamos tentando roubar o movimento… coisas do tipo.. :/

    • Negócio é ignorar o facebook pq o q existe lá não é militância não..
      Se eu fosse levar a sério todas as asneiras que leio nessas tretas, até eu já teria desistido de ser feminista…

  18. Pingback: 35 ações práticas para homens que querem apoiar o feminismo | Marília Moscou

  19. O único tópico que me deixou inquieto foi: “seja subordinado à mulheres”, não acredito na subordinação, já que sou parte do movimento anarquista,mas enfim, queria tirar uma dúvida referente ao caso em que alguém independente do sexo, comete um erro argumentativo a favor ou contra ao feminismo e eu como homem apresento argumentos que julgo serem cabíveis, estou sendo machista? A contra-argumentação à uma feminista é machismo? É uma dúvida mesmo.
    Obrigado pelo post e espero poder assimila-lo.

    • Eu tenho a mesma dúvida com relação àqueles movimentos que eu não protagonizo. Por exemplo, posso tecer críticas ao movimento negro, sendo branca? LGBT, sendo hetera?
      Eu acho que esses questionamentos não tem resposta. Penso que muitas pessoas conseguem fazer a crítica de um jeito empático, no sentido de ajudar a construir. Mas essas pessoas são raras, e infelizmente o que mais vejo é homem tentando pautar o movimento, protagonizar a luta, ou mesmo querendo dizer pra gente o que é abuso e o que não é.
      Qual minha postura então? Mantenho minhas opiniões para mim e deixo cada um levantar sua bandeira.

      Pra dar um exemplo bem específico, tenho muitos questionamentos com relação ao mov negre no que diz respeito a apropriação cultural (mesmo dentro do mov negre não há concordância a respeito). Eu entendo até certo ponto, outras coisas talvez eu precise me aprofundar mais e ainda penso serem exageros. Por via das dúvidas, para não ser ofensiva com meus companheires negres, prefiro não cometer erros que eles recriminem.
      E quando entro em uma discussão a respeito, parto do pressuposto de que jamais entenderei tanto quanto eles quando o assunto é racismo, então busco muito mais escutar, perguntar do que emitir minha opinião branca. Requer um tantão de humildade também. Nem sempre é fácil…

  20. Pingback: Quando a nossa presença é uma ameaça | Capitalismo em desencanto

  21. O 34 é uma pérola de texto mal-escrito quase ininteligível e ainda prega que o homem ter masculinidade é um pecado… O guia fluía tão bem aí vem essa merda para foder tudo. Simplesmente arrebentou todo o guia.
    Feminazis…

  22. Muito bom pra refletir o cotidiano, acredito que todos os homens sem excessao pecam em pelo menos um topico, agora o q eu nao aguento é essa separaçao do alcool com droga, tipo se voce nao se sente bem comendo fruta, nao coma fruta ou banana, meio sem logica ne…

  23. 1 – Acho Justo.
    2 – Discordo, não sou o tipo que fica choramingando pra meus amigos, sejam homens ou mulheres, sem distinção.
    3 – Discordo, vou assisitir um filme por que eu gosto, e não por que uma mulher dirigiu.
    4 – Faz sentido.
    5 – Devemos nos aproximar apenas em determinadas situações? Mas manter distância em todas as outras? Achei um tanto forçadas essas duas (4 e 5).
    6 – Não, isso é bobo, já conheci feministas bem babacas sabe, sei q são casos isolados, mas o fato de ser mulher não te torna dona da verdade, isso, eu diria que vai contra a ideia de igualdade que o feminismo prega, não acha? Porém entendo que para qualquer pessoa (seja homem ou mulher) é dificil entender um preconceito que vc não sente, mas não gostei disso, “acredite nela e ponto”, não é assim.

    7 – Muito justo.
    8 – Novamente, cadê a igualdade? Não, faz assim, cada um paga um mês, assim que eu costumo fazer, e tem funcionado.
    9 – Visão pessoal da autora …
    10 – Sou da ideia q cada um mantenha o seu.
    11 – Que tal falar sobre a “lincença paternidade” de apenas uma semana?
    12 – Aqui no sul, mulheres fazem comida e homens assam a carne, divisão de tarefas e cultural, acho bem justo.
    13 – Faz sentido.
    14 – Isso deveria ser básico, ao meu ver, não tem nada a ver com feminismo, mais com princípios pessoais seja de homens ou mulheres.
    15 – Concordo.
    16 – Concordo, inclusive divido contas de restaurantes com minha namorada, como ganho mais, em diversas situações eu pago a conta, e como sou a favor da igualdade, minha namorada paga a própria conta, de forma bem feminista e igualitária. (respeitando as receitas claro).
    17 – É, eu sou um pouco assim, obrigado pela dica, não sabia que isso incomodava.
    18 – Sou obrigado a concordar que a maioria dos homems é mesmo babaca.
    19 – Nunca prestei atenção nesses detalhes. Talvez valha a pena começar.
    20 – Meus herois e modelos refletem o que eu quero, não vou martelar um herói só pelo fato de ser mulher, acho isso bobo.
    21 – Sério? Eu recomendo pessoas, e não ligo se for homens ou mulheres, ta estranho esse papo.
    22 – É, sou obrigado a admitir q já fui “parça”, isso é errado.
    23 – Mulheres e homens são diferentes, essas diferenças devem ser tratadas pelos 2 e não é o homem que deve se adaptar 100% a mulher ou vice versa, ambos deve seder, cara, to achando essas dicas um tanto parciais.
    24 – Concordo, inclusive dou o direito da igualdade, ao dividir contas por exemplo, dou voz e busco sempre resolver conflitos de uma forma conciente, onde ambos cedem.
    25 – Concordo.
    26 – Discordo, se juntar a uma organização só por que ela é dirigida por uma mulher não é o caminho.
    27 – Muito justo.
    28 – Faz sentido, em partes, minha namorada da dicas sobre meu cabelo e eu não posso fazer isso, bom senso e decisão mútua?
    29 – Cavalheirismo está profundamente ligado ao machismo, vc deve saber disso. Por isso não uso esse termo, prefiro usar o “Ser educado”.
    30 – Eu acho justo isso quando os 2 trabalham fora, porém se apenas 1 dos 2 trabalha fora, quem está em casa deve sim fazer mais, seja homem ou mulher, conheço homens sem emprego que fazem a comida e etc, acho muito justo.
    31 – Eu incluiria pessoas em geral, não apenas mulheres.
    32 – Nunca reparei nisso.
    33 – Concordo, porém não vou doar meu dinheiro, fora de cogitação. Porém de minha parte, mulheres receberão o mesmo que os homens.
    34 – Não considero nenhum privilégio, logo discordo completamente de tudo isso.
    35 – Sim

    Considerações: A autora me pareceu parcial em vários momentos, o machismo não é ruim só para as mulheres, homens também sofrem com ele sim, porém a autora aparenta não saber disso, ela constantemente fala “faça isso para as mulheres”, “haja assim com as mulheres”, compreensível, porém eu acredito que pra atingir a igualdade, que em teoria é o que o feminismo busca, todos os “homens” e “mulheres” do texto deveriam ser substituído por “pessoas”, assim deveria ser o mundo, tirando os “negros”, os “judeus”, “os gordos”, os “magros” os “indios” e usar apenas “pessoas” parar com essas divisões (porém eu concorde com as cotas como medida TEMPORÁRIA), essa é a minha filosofia e opinião pessoal, eu luto para eliminar meus preconceitos, enfim, óbviamente posso estar errado.

  24. “Acho justo”, “discordo”, “faz setido”…
    “FAZ SENTIDO”

    Homens pfv simplesmente parem(os) de comentar
    Pq tá feio

  25. Não vejo problema no texto tampouco na causa, mas sim em quem as pratica. Todos os discursos são de ódio e repúdio bem como os as respostas não incentivam um debate saudável sobre o tema, mas simplesmente replica-se a ignorância, a insensatez e a falta de educação com qualquer esbravejo. As mulheres são nossas mães, esposas e filhas e queremos o melhor para elas, inclusive creio em um país muito melhor se governado por mulheres, entretanto gostaria de ver menos “Valescas popozudas” como formadoras de opinião, líderes de movimento e muito mais a participação de mulheres inteligentes, capazes de trabalhar a questão através de práticas de ensino, pois não há quem me convença que despir-se em público, discursos de ódio e palestra de funkeira vão alavancar a causa.

  26. Pingback: Homem feminista ou pró-feminismo? – Debates de Gaveta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s