Onde estão os professores homens?

Estava eu fuçando em um site onde encontro M-I-L-H-A-R-E-S de atividades interessantes para futuras aulas. E esse site também disponibiliza pôsteres para os teachers imprimirem ou salvarem ou sei lá, fazerem o que bem entenderem. São pôsteres bonitinhos, às vezes com infográficos, ou mensagens motivacionais.

Quando vi o título desse pôster, “Onde estão os professores homens”, baixei imediatamente, super empolgada para encontrar alguns incentivos para que mais homens rejeitem a divisão sexual do trabalho e se joguem na maravilha que é o magistério.

(A divisão sexual do trabalho expressa uma hierarquia de gênero que infelizmente é voltada para a desqualificação do trabalho feminino, socialmente desvalorizado e mal remunerado. Essa desqualificação resulta em desprestígio e má remuneração. Um exemplo disso está na função de professor das séries iniciais (o antigo primário, da 1a à 4a série): Enquanto foi eminentemente masculina era melhor remunerada e socialmente distinguida, mas ao passar a ter muito mais mulheres nessa área, perdeu prestígio e tornou-se mal remunerada. O mesmo pode ser dito em relação a uma cozinheira e um “chef de cuisine”… Embora as funções não sejam substantivamente diferentes, ele é considerado altamente qualificado enquanto ela é considerada desqualificada. Um outro exemplo é o das parteiras que perderam a qualificação quando seu trabalho foi apropriado pelos homens obstetras. Ou seja, a divisão sexual do trabalho está baseada no preconceito e na discriminação.)

Bom. Inclusive salvei o poster já pensando em facebookear. Mas daí abri o arquivo e…

Tá aqui o pôster.

Where are male teachers?

Basicamente praticamente tudo aí está simplesmente errado (gosto de advérbios).

Começa trazendo algumas estatísticas interessantes, como que apenas 25% dos professores dos anos iniciais são homens nos Estados Unidos, 17% no Canadá e 25% na Inglaterra. Acho isso realmente sintomático e digno de problematização (como já deve ter sido problematizado em mil estudos). E eu super pensando que justamente iam vir alguns insights sobre a tal divisão sexual do trabalho, tipo um mas por que isso acontece? Só que não.

Alunos se esforçam mais com professores homens.

De acordo com um estudo oficial, alunos se esforçam mais para agradar professores homens, demonstram uma auto-estima maior, e tem mais probabilidade de acreditar que estão sendo tratados de maneira justa. Muitos pais acreditam que professores homens servem como bons modelos para os garotos, especialmente para aqueles que não tem o pai em casa.

Eu não sei se é necessário mesmo mesmo MESMO tecer comentários sobre ssse parágrafo. Precisa?

Absolutamente inacreditáveis foram as coisas que eu li sobre esse tal estudo oficial britânico. Coisas do tipo: Com o número de professores na educação secundária também diminuindo, teme-se que alguns jovens poderão passar a vida escolar inteira sem experimentar os benefícios de serem ensinados por um homem.

Cara. Cara. CARA. Isso aliás virou até uma nova política no Reino Unido (nova vírgula né, faz mais de 10 anos, eu que só fiquei sabendo disso tudo agora, por causa desse pôster de merda), incentivando fortemente o recrutamento de mais homens para o ensino primário para combaterfeminização da educação pública. Acho engraçado não passar pela cabeça de ninguém que não é essa a solução para desafiar os estereótipos convencionais (uma das justificativas do governo é a de que os meninos estão se comportando como ‘machos’ demais ou ‘moleques’ demais por falta de modelos masculinos na escola). Ao invés disso, simplesmente se está indo na direção OPOSTA, onde as noções de masculinidade e feminilidade continuarão sendo reforçadas através da ‘re-masculinização’ da escola primária.

Aaaaaaa mas daí sim, logo depois vem a parte do Por que isso está acontecendo. Mas saca só as respostas:

* Baixo status, baixo salário e medo de acusações.

E piora quando chega a pergunta O que fazer para reverter o quadro?

* Respeitar os professores e aumentar o salário.

Eu não sei se estou fazendo tempestade em copo d’água, mas acho que não. Fiquei indignadíssima mesmo por perceber que alguém argumenta que professores devem ser respeitados e valorizados NÃO por serem professores, mas para ATRAIR MAIS HOMENS para a profissão, afinal, PROFESSORES HOMENS SÃO MELHORES DO QUE PROFESSORAS MULHERES, já que os alunos se esforçam mais com eles e talz.

(Pra não falar que essa mensagem implícita de que professores homens são necessários para prover uma imagem masculina positiva para os garotos e, em menor escala, para garotas, é baseada numa noção essencialista de identidades de gênero que já foi refutada tipo cents vezes. E esquece que mulheres são portadoras de masculinidades tanto quanto homens – quero dizer de características socialmente consideradas masculinas.)

Anúncios

Um comentário sobre “Onde estão os professores homens?

  1. Pingback: A escola e os meninos | Georgia Martins Faust

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s