Campanha por uma vida mais simples

Eu, de vez em quando, penso sobre o qto as coisas são mais difíceis para mim do que para as outras pessoas. Será que são mesmo?

A impressão que eu tenho é que estou tendo que provar constantemente o quanto quero alguma coisa, até que finalmente me seja dado o privilégio de usufruí-la. Se não for com dor, se não for com sofrimento, se não for horrível e quase suicida, eu não posso ter. Nada. Se não for para desafiar meus princípios, se não envolver loucuras e devaneios, se não for quase uma doença obsessiva, não é pra ser meu.

Daí dizem que nós mesmos somos quem escolhemos os nossos caminhos e os nossos desejos, mesmo que de maneira inconsciente. Que nós optamos pelos caminhos mais difíceis pois temos uma tendência oculta ao masoquismo.

Será que é isso mesmo? Será que tanta provação, tanta dificuldade, tanto sacrifício, tanto esforço é porque eu mesma escolhi o caminho mais difícil?

É quase impossível acreditar que eu mesma escolhi o caminho cheio de espinhos. Deve ser alguma coisa muito doente, muito podre lá de dentro do meu cérebro que me fez acreditar que por alguma razão eu mereço passar pelas piores experiências para colher quase nada.

Campanha por uma vida mais simples, começando hoje.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s